Disforia de Género nas Crianças – Neuroplasticidade (3)

A neuro-plasticidade é o fenómeno bem estabelecido no qual o pensamento e o comportamento alteram a micro-estrutura cerebral. Não há evidências de que as pessoas nasçam com micro-estruturas cerebrais que são inalteráveis para sempre, mas há evidências significativas de que a experiência altera a micro-estrutura cerebral [14]. Portanto, se estudos cientificamente rigorosos identificarem diferenças cerebrais transgénero, essas diferenças ainda serão muito provavelmente o resultado de comportamento transgénero e não a sua causa.

Mais importante, contudo, é o facto de que os cérebros de todos os bebés do sexo masculino são masculinizados na fase pré-natal pela sua própria testosterona endógena, que é segregada pelos testículos a partir de, aproximadamente, oito semanas de gestação. Os bebés do sexo feminino, obviamente, carecem de testículos e, portanto, os seus cérebros não são masculinizados pela testosterona endógena [15,16,17]. Por esta razão, exceptuando a exposição materna a androgénios ou um distúrbio raro do desenvolvimento sexual, os meninos não nascem com cérebros efeminizados e as meninas não nascem com cérebros masculinizados.

Referências Bibliográficas:

[14] Gu J, Kanai R. What contributes to individual differences in brain structure? Front Hum Neurosci 2014;8:262.

[15] Reyes FI, Winter JS, Faiman C. Studies on human sexual development fetal gonadal and adrenal sex steroids. J Clin Endocrinol Metab 1973;37(1):74-78.

[16] Lombardo M. Fetal testosterone influences sexually dimorphic gray matter in the human brain. J Neurosci 2012;32:674-680.

[17] Campano A. [ed]. Geneva Foundation for Medical Education and Research. Human Sexual Differentiation; 2016. Available at: www.gfmer.ch/Books/Reproductive_health/Human_sexual_differentiation.html. Accessed May 11, 2016.

Fonte: https://www.acpeds.org/the-college-speaks/position-statements/gender-dysphoria-in-children

Traduzido por: Sarah Pousinho

Deixe uma resposta